ARTIGO

Taro Zen, de OSHO - Leitura de setembro

Clareza para o momento atual que vivemos

O Tarô deste mês veio especial, com uma energia indescritível abordando pontos sobre o nosso momento atual. Além da leitura, gostaríamos de contar que em breve estaremos lançando o tarô solidário. Acompanhem!

A disposição utilizada nesta tiragem é chamada de “O Diamante”, composta por 5 cartas: o assunto, influências interiores, Influências exteriores, o necessário para a solução e o entendimento. Está disposição é útil quando se procura maior clareza em algum assunto, e aqui o tema é sempre aquilo que precisamos saber para o momento atual.

Antes de iniciar é importante lembrar que o tarô é composto por: Arcanos Maiores, que representam os temas centrais, tem um significado especial; Arcanos Menores, divididos em 4 naipes diferentes: água, fogo, nuvem (ar) e arco-íris (terra), que representam as diferentes oportunidades de equilíbrio de acordo com cada um dos elementos.

“Aqui está, portanto, uma viagem de descoberta, e o caminho para a transcendência definitiva disso tudo. Siga em frente saboreando cada passo do caminho”. (OSHO)

O momento em que vivemos exige de nós gerenciamento da mente, da saúde, dos sentimentos, dos medos, da ansiedade, do tempo, da empatia, das opiniões, das ações, do financeiro e de muito mais.

E como poderemos gerenciar tantas coisas ao mesmo tempo?

A leitura de hoje veio muito forte, nos lembrando da importância de nos conectarmos com quem realmente somos, pois só assim poderemos nos conectar com o todo. A carta de número 1 que representa o silêncio, nos trouxe com muita sabedoria as informações de que é importante estarmos abertos a viver este momento que a vida nos oferece, pois este será o movimento inicial de uma grande mudança, e que fortalecerá o nosso mais profundo e puro ser. Este é um momento de paz e de compreensão.

As influências internas são regidas pela flexibilidade, é hora de deixar o passado de forma a permanecer no presente. Muitas vezes medimos nossas atitudes pelas as atitudes das outras pessoas, mas a melhor forma de compartilharmos é o exemplo. Não seja o escudo que te faz sombra. Ter brilho também requer vulnerabilidade, se abra a viver os momentos da vida independente do que os outros dizem e pensam, faça a sua parte, colabore com aquilo que você entende ter de melhor. A carta de número 2, O bobo, nos traz a pureza, a inocência e a confiança na intuição e a cristalização da alma. Isso tudo pode ser desafiador, pois sempre haverá os que querem tirar vantagem, mais lembre-se, aquilo que realmente é seu, ninguém nunca tirará.

O movimento externo está nos possibilitando ver o quadro completo, a terceira carta representa a completude, o encerramento do velho para a chegada do novo. Isso pode parecer desafiador, pois as vezes somos apegados ao passado e por isso não queremos que ele vá mesmo almejando algo novo. Este momento pede para que velho e novo sejam celebrados. O velho por todos seus ensinamentos, e por isso a gratidão e a receptividade pelo novo. Esta carta representa a peça que faltava no quebra cabeça da vida.

Sonhe, acredite, sinta. Tudo que era necessário está sendo visto neste momento. Vivemos uma vida de ilusão controlada pela consciência mental/física por muitas décadas, crenças sociais, familiares, religiosas, políticas, raciais, sexuais, nos trazia a sensação de calçar um sapato menor que nossos pés. Somos muito mais!

A carta de número 4, Além da Ilusão, retrata a importância de identificar o real, e por isso a importância de nos conectamos com quem somos em essência, a mente é apenas a forma física que materializar aquilo que realmente sentimos, já os sentimentos nem sempre são aquilo que a mente condicionada pelas experiencias da vida pode ver.

Falando em renascimento, está foi a carta resolução, que reafirma o tempo de crescimento e mudança. O ciclo se inicia com a representatividade do camelo, cômodo por se entender suficiente, mas cheios de preocupação com a opinião social. E é ai que emerge o leão, com o entendimento de que estivemos abrindo mão de viver a vida. Nos apartamos da multidão, solitários e orgulhosos, rugindo a nossa verdade. Mas não acaba aí, pois logo em seguida emerge a criança, nem submissa, nem rebelde, mas inocente e espontânea, fiel ao seu próprio ser.

Qualquer nível que você se encontre mesmo momento, lembre-se que isso evoluirá para algo novo, se você se permitir!

Até a próxima leitura.

Gratidão e ótimos dias!

Entenda a leitura